PUB.

CTM Mirandela com novos projectos em carteira aguarda pelo regresso das competições

PUB.

Ter, 12/05/2020 - 10:06


A Covid-19 paralisou o desporto. No ténis de mesa, o CTM Mirandela preparava-se para jogar a final do play-off do Campeonato Nacional da 1ª Divisão feminina e não sabe quando a prova vai ser retomada. Isidro Borges, presidente do clube, prevê dificuldades, mas não baixa os braços. O clube vai integrar o projecto Turma UAARE.

 

- Qual o impacto da Covid-19 no ténis de mesa?

A paragem e o impacto que teve no CTM Mirandela foi mau, tanto do ponto de vista colectivo como do ponto de vista individual. Ao nível colectivo estávamos a cumprir todos os objetivos que tínhamos para esta época e com toda a certeza, íamos colher os frutos do bom trabalho que estávamos a realizar. Ao nível individual pior não poderia ser, pois todos os projectos de formar jogadores para o Alto Nível está no mínimo adiado.

O único aspecto que nesta fase está a correr bem, é saber que todos estamos bem e a realizar em casa o trabalho individual que se pode fazer.

 

- Antevê dificuldades financeiras?

Naturalmente as dificuldades financeiras vão aumentar, dentro do quadro restritivo que se prevê. O nosso orçamento anual prevê cerca de um terço de receitas, no sector da publicidade vai ser muito difícil concretizar esse objetivo. Gostava muito de estar enganado, vamos aguardar.

 

- Como estão os atletas?

No mínimo estão cansados de estar confinados em suas casas. Na tentativa de minorar as perdas de forma, temos em marcha um plano de contingência que mantém todos em actividade, realizando trabalho físico específico e trabalho técnico/táctico ao nível do jogo, com o envio de propostas de visualização e estudo de vídeos, que depois são trabalhados pelos atletas e enviados para os treinadores.

 

- Em termos de campeonato qual o plano da federação? É possível terminar o nacional?

Já tivemos duas videoconferências com a federação e com os restantes clubes da 1ª Divisão e já respondemos aos inquéritos que foram enviados a todos os clubes da 2ª Divisão Masculina e Feminina.

A Federação Portuguesa de Ténis de Mesa tem ideia de terminar os campeonatos. No entanto, em todos os momentos que estivemos reunidos, senti que há grandes dificuldades em conseguir concluir todas as provas. Há dificuldades imensas e diferenciadas e não vai ser fácil arranjar condições de se poder competir sem colocar em risco a saúde e a vida das pessoas. Há grandes expectativas mas, neste momento, temos de aguardar pela nova avaliação que o Governo e as autoridades sanitárias vão realizar e depois tomar as decisões que tivermos de tomar. De uma coisa o CTM Mirandela tem certeza, só aceitará jogar em condições de segurança quase absoluta pois, a saúde e a vida são os bens maiores.

 

- A nível da formação, em que todos os campeonatos foram cancelados, que impacto vai ter?

Neste momento, a preocupação maior é começar a treinar. Esperamos recomeçar logo a seguir ao dia 18 e para isso, já temos boas condições previstas em novo plano de contingência, agora para o recomeço dos treinos. Quanto aos campeonatos, pensamos ser muito difícil arranjar condições para se realizarem dentro daquilo que seria normal fazer e por outro lado, não me parece que se possa arranjar alternativa quanto ao formato dos campeonatos para as classes de formação.

 

CTM vai integrar o projecto “Turma UAARE”

 

- O que é o projecto Turma UAARE (Unidade de Apoio ao Alto Rendimento na Escola)?

A Turma UAARE é a nossa grande vitória desta época. Mesmo sabendo que o arranque oficial foi adiado para o ano lectivo de 2021/22, por motivos desencadeados pelo Covid 19, com a impossibilidade do Agrupamento de Escolas dar resposta cabal, naquilo que terá de fazer para possibilitar aos alunos/atletas que vão integrar esta Turma UAARE, as facilidades escolares previstas no decreto/lei, nomeadamente, no que diz respeito à produção de aulas em vídeo, para acesso ao ensino à distância, quando os alunos estiveram fora de Mirandela, tanto no país como no estrangeiro onde têm muitas vezes de ir para estágios e em competições internacionais.

 

- Destina-se a que atletas?

Este projecto começou há quatro anos enquadrado num projecto piloto, em Rio Maior e daí até agora já existem 16 turmas sendo que, as mais próximas de Mirandela, uma fica em Braga e outra fica no Porto. Devo também dizer que a que vai arrancar em Mirandela, será a única até ao momento que existe no interior do país tanto que, até o nome é “Projeto Especial do Interior, em Mirandela”.

Destina-se aos atletas/estudantes que tendo bom nível enquanto alunos e bom nível enquanto atletas, reconhecido pelas suas federações e vão integrar esta turma, usufruindo de todos os benefícios escolares, que constem no decreto/lei que sustenta o projecto. Há três níveis de acesso para integrar a turma UAARE: Nível 1, para atletas com o Estatuto de Alta Competição; Nível 2, para atletas internacionais e o Nível 3, para atletas propostos por uma determinada entidade e sejam depois reconhecidos e aceites pela federação respectiva.

 

- Como nasceu a iniciativa?

Foi em Abril do ano passado quando estive presente numa reunião sobre desporto promovida pela Câmara Municipal de Mirandela e que contou com a presença do Director Regional do Norte do IPDJ. Na sua intervenção o Dr. Vítor Dias fez a apresentação das Turmas UAARE, coloquei algumas questões que me foram respondidas e desde essa reunião, senti que Mirandela tinha condições e possibilidades, para ambicionar trazer para a nossa cidade e para a nossa região, esta unidade de apoio aos jovens atletas/estudantes que estejam dentro do Alto Nível do desporto em Portugal.

Naturalmente que não foi fácil, mas o mais importante é que o estado português já reconheceu o potencial desportivo da nossa cidade. Devo ainda acrescentar e com muito orgulho, que este facto se ficou a dever aos 16 atletas que o CTM Mirandela tem dentro dos seus quadros e disponibiliza para constituir esta turma, sendo até o único clube a fornecer elementos para este projeto.

 

- Quais são as mais-valias do projecto e de que forma vai desenvolver a modalidade?

As mais-valias são imensas e constituem ou poderão constituir, o que nos tem faltado para aumentar e melhorar a nossa produção de atletas de Alto Nível. Por outro lado, penso até que poderá permitir sonhar em aumentar a regularidade de ter jogadores nossos, a disputar lugares de medalha nos Campeonatos da Europa e outras competições internacionais de grande nível.

Tudo que que atrás referi só se conseguirá fazer se os atletas puderem aumentar significativamente os números de horas de treino, sem, contudo, perder alguma qualidade no que diz respeito à sua vida escolar.

Em jeito de conclusão apetece-me dizer que, a Turma UAARE e o que vai representar para atletas/estudantes, da nossa cidade e da nossa região, terá sido a maior vitória que o CTM Mirandela conseguiu, nos quase trinta anos da nossa existência.