Candidato do PCP às presidenciais realizou acção junto à Faurecia

Ter, 24/11/2020 - 11:25


O eurodeputado João Ferreira é o candidato apoiado pelo PCP às eleições presidenciais, que têm lugar no próximo mês de Janeiro.

Esteve de passagem pelos distritos de Bragança e de Vila Real, na sexta-feira. Depois de contactar com algumas associações locais de criadores de ovinos e caprinos, em Macedo de Cavaleiros, o candidato esteve à porta da Faurecia, a multinacional francesa, que, em Bragança, dá trabalho a mais de mil pessoas. Apesar de a administração da fábrica o ter tentado convencer a abandonar o local, João Ferreira cumpriu o planeado e ali permaneceu com a sua comitiva, ainda que o tenham avisado de que poderiam recorrer à intervenção da GNR. O candidato do PCP assumiu que, indo ao encontro do que diz a Constituição da República Portuguesa, se assume como necessidade “valorizar o trabalho e os trabalhadores”, situação que se deve reflectir na evolução dos salários, protecção da saúde e da higiene no trabalho, definição de regras e de horários que permitam compatibilizar a actividade profissional com a vida familiar, direitos ao lazer e descanso. “Sabemos que no nosso país esta não é uma realidade, nomeadamente neste local”, assinalou. João Ferreira explicou ainda que pretende mostrar que “é possível um outro rumo”, “que reconheça às mulheres o direito à igualdade no trabalho, na família e na sociedade, que combata as discriminações, as exclusões e as injustiças sociais, que garanta aos emigrantes e imigrantes o acolhimento e dignidade devida, que consagre o direito da resistência à ofensa dos direitos, liberdades e garantias, que proteja o exercício da actividade sindical e política e que assegure a subordinação do poder económico ao poder político”. Considerando que o país está confrontado com “sérios problemas estruturais, consequência de décadas de política de direita”, João Ferreira frisou ainda que se têm visto “aumentar” as “desigualdades” e que o combate às assimetrias “não se faz só com discursos em dia e hora marcada”. O candidato entende assim que “tem faltado acção, por parte de sucessivos governos e presidentes da república” e que, por causa disso, “as regiões do interior têm pago um preço caro”. Nesta passagem pela região, João Ferreira criticou ainda a situação das “potencialidades tremendas” que o distrito tem mas que “não estão a ser aproveitadas”. João Ferreira considera que os centros de criação de conhecimento existentes no território deveriam “ligar” de outra forma o conhecimento às actividades produtivas, incentivando também a indústria.

Jornalista: 
Carina Alves