F.C. Vinhais defende uma data limite para a retoma do distrital

Qua, 03/03/2021 - 19:35


A Divisão de Honra da A.F. Bragança parou no dia 13 de Janeiro, após a nona jornada, e ainda não há data para o regresso aos relvados. O F.C. Vinhais ocupa o segundo lugar.

Um estudo lançado pela plataforma World Football Summit e pela empresa SPSG Consulting, em Agosto passado, revelou que os impactos financeiros e operacionais causados pela pandemia da Covid-19 na indústria do futebol podem perdurar até 2024.

A realidade ainda é mais difícil para o futebol amador onde não há patrocinadores de renome e a ausência de público nas bancadas, mesmo que se trate de um pequeno grupo de adeptos que religiosamente todos os domingos contribuíam nem que fosse com um euro para o sorteio de uma camisola, abalou as finanças dos clubes distritais.

Esta nova realidade está a obrigar os clubes a muitos sacrifícios. Que o diga o F.C. Vinhais. “A paragem, como é óbvio, é bastante penalizadora para todos, independentemente dos objectivos de cada clube, ainda mais para os jogadores que se veem privados de fazer aquilo que mais gostam”, respondeu a direcção dos vinhaenses num documento enviado ao Nordeste, depois de colocarmos alguma questões sobre a actual situação do futebol distrital.

Os clubes mostram-se conformados com a paragem pois dizem ser “absolutamente necessária devido às circunstâncias em que o país se encontra”, lê-se no documento enviado pelo F.C. Vinhais, mas “deve haver uma data limite para a sua retoma”. E havendo retoma o campeonato deve ser jogado “no mais curto espaço de tempo”.

Sobre as finanças do clube a direcção frisa que “a quebra da receita foi enorme este ano” e que a paragem do campeonato teve “um impacto muito negativo a todos os níveis”. O Município tem sido um grande apoio para o clube nesta fase mais difícil.

“O planeamento financeiro anual foi elaborado tendo em conta diversos cenários alternativos, considerando interrupções ao longo do ano, com vista a ser possível honrar os todos compromissos assumidos. Infelizmente, o pior cenário concretizou-se como tínhamos previsto. Apesar da nossa tesouraria não estar em dificuldades, sofreu bastante com esta situação e esperamos naturalmente que esta paragem não se prolongue por muito mais tempo. Queremos aproveitar aqui a oportunidade para agradecer ao presidente da Câmara Municipal de Vinhais, Luís Fernandes e a todo o seu executivo, por todo apoio e colaboração prestada ao clube”.

Em relação ao plantel os vinhaenses frisam que “todos os compromissos assumidos pela direção serão cumpridos”, que o clube “está a fazer um enorme esforço para que o impacto financeiro seja mitigado”, mas que caso seja necessário fazer algum ajuste “será obviamente feito a pensar no clube e não em situações particulares”.

Nas respostas às questões do Nordeste, e no que toca aos atletas estrangeiros, a direcção do F.C. Vinhais garantiu que tem “acompanhado todos os jogadores e que está atenta na ajuda aos que mais precisam”.

Parado desde Janeiro não há data definida para a retoma do distrital, embora, nos últimos dias, tenha surgido o dia 11 de Abril como uma grande possibilidade. Uma informação que a A.F. Bragança não confirma pois “tudo depende da FPF, Governo e DGS”, disse António Ramos, presidente da AFB.

Entretanto a Federação Portuguesa de Futebol já comunicou aos clubes, futebol e futsal, que “a decisão sobre o recomeço das provas suspensas é tomada pelo Governo” e que a FPF tem como objectivo “concluir as competições de acordo com o estipulado no regulamento da competição”. A FPF esclareceu ainda que a alteração do formato das provas “é uma possibilidade que poderá ser implementada”, mas depende do número de datas disponíveis, da potencial data de recomeço e o estipulado em regulamento da competição.