Mais de 81 mil abrangidos pelo EKUI

Ter, 20/10/2020 - 17:06


A metodologia de aprendizagem vai passar a ser disponibilizada on-line.

O projecto EKUI já chegou a mais de 81 mil crianças, jovens e adultos, bem como a cerca de 400 escolas. A metodologia de desenho universal para aprendizagem do alfabeto teve, segundo um estudo do Instituto Politécnico de Leiria, um impacto altamente positivo, em 99% dos casos em que o EKUI foi usado mudou a forma de ver a aprendizagem e a reabilitação. A mentora do projecto, a transmontana Celmira Macedo, acredita que o EKUI pode, no entanto, ter tido um impacto bem maior. “Desde 2015, a altura em que foi para o terreno, até 2019 tivemos um impacto em cerca de 400 escolas em todo o país que são supervisionadas por nós, porque o projecto provavelmente não chegou só a 80 mil pessoas, terá chegado a mais pessoas a nível nacional e internacional”, afirma. Celmira Macedo expliClemira Macedo desenvolveu o EKUI para ajudar na aprendizagem ca que “muitas vezes é possível evitar que pequenas situações se transformem em grandes problemas, ou seja, uma pequena dificuldade na aprendizagem pode não ser no futuro uma barreira para que uma criança desenvolva o seu processo de literacia, consiga ler e escrever com funcionalidade”, avançando que, em Portugal, 1,7 milhões de pessoas têm dificuldades em aceder à informação através da leitura, da escrita ou da fala”. O projecto EKUI engloba um conjunto de 26 cartas acessíveis. Cada carta tem 4 formas de expressão: além de representação gráfica, cada letra do alfabeto tem associadas pistas visuais (alfabeto da língua gestual), pistas sonoras (alfabeto fonético) e pistas sensoriais (letras em Braille), que promovem a memorização, a aprendizagem e a inclusão. A Associação Verd’EKUI quer agora alargar a abrangência do projecto ao desenvolver soluções digitais. “Vamos avançar com um projecto digital, o que significa que mais professores, famílias e terapeutas vão poder aceder à metodologia e dessas 400 queremos estar em todas as escolas do país, é o grande objectivo, daqui a 5 anos talvez”, afirmou a empreendedora social. A versão EKUI online pretende responder de forma diferenciada a indivíduos, famílias e profissionais, ao disponibilizar capacitação e diagnósticos online, teleconsulta e acompanhamento educativo em pedagogia, braille, língua gestual, psicologia e fonoarticulação. Esta metodologia, que começou a ser usada em 2003, em escolas de Vinhais, foi já certificada pela Secretaria de Estado da Inclusão de Pessoas com Deficiência e pelo Instituto Nacional para a Reabilitação, bem como cientificamente validada pelo Instituto Politécnico de Leiria.

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro