PUB.

Mau tempo destruiu culturas e inundou armazéns em Celas

PUB.

Ter, 22/06/2021 - 11:48


A chuva e o granizo, na semana passada, provocaram estragos na localidade de Celas, no concelho de Vinhais.

Segundo a presidente da junta de freguesia, foram afectadas entre 80 a 100 pessoas e várias culturas ficaram alagadas, armazéns ficaram inundados e alguns aparelhos danificados. “O maior prejuízo foi nos castanheiros recentemente plantados em que a chuva e a pedra danificaram as árvores e o terreno”, explicou Raquel Gonçalves. Também armazéns agrícolas, fornos regionais, electrodomésticos e alfaias agrícolas ficaram inundados pela chuva. Ramiro Antunes é um dos lesados. Praticamente tudo que tinha plantado ficou submerso pela água e algumas culturas foram até arrastadas. “Correu a água, alagou as batatas, as cebolas, as alfaces, tomates. A maior parte das coisas foram arrancadas, ficou tudo destruído”, contou. Agora a solução passa por semear tudo outra vez e o mais rápido possível, até porque já não há como salvar o que tinha plantado. Nem as árvores de fruto saíram ilesas à chuva e ao granizo. “Tenho árvores de fruto à volta do terreno e parece que ficou tudo picado”, afirmou, salientando que esta é uma situação “dramática”, já que em minutos tudo que tinha cultivado ficou destruído. A freguesia de Celas é constituída por cinco localidades, uma delas há alguns anos tinha passado por uma situação idêntica e os moradores uniram-se para ajudar na replantação das culturas. Agora a situação repete- -se. “Em 2018 tivemos uma situação semelhante em Negreda, em que as hortas e os castanheiros foram atingidos. Na altura as pessoas de Celas disponibilizaram-se logo a fornecer as culturas para que as pessoas de Negreda pudessem replantar. Agora estamos a receber chamadas de pessoas de Negreda que querem ajudar, porque percebem a situação que estão a viver”, explicou a presidente da junta. O levantamento dos prejuízos foi feito pela Câmara Municipal de Vinhais e o parecer foi encaminhado para a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte. Os deputados do PSD já recomendaram ao Governo a adopção de medidas de apoio extraordinário na sequência dos fenómenos climáticos adversos ocorridos, em Maio e Junho, na região de Vila Real, de Viseu, de Bragança e Guarda. O partido defende “um sistema de seguros agrícolas adequados às inúmeras produções e tipo de explorações, considerando que a crescente frequência de fenómenos climatéricos desta gravidade” e a “criação de um sistema de apoio público vocacionado especialmente para a agricultura familiar, pequena agricultura e agricultura de subsistência que pela sua natureza intrínseca se encontra particularmente perante este tipo de fenómenos”.

Jornalista: 
Ângela Pais