PUB.

Poetisa Ana Luísa Amaral galardoada no FFIL com prémio literário Guerra Junqueiro

PUB.

Ter, 21/07/2020 - 11:24


Edição de 2020 celebra a lusofonia e premeia mais sete escritores.

O Freixo Festival Internacional de Literatura (FFIL) tem este ano como galardoada do Prémio Literário Guerra Junqueiro a poetisa Ana Luísa Amaral. A edição deste ano da iniciativa cultural vai realizar-se nos próximos dias 24 e 25 de Julho e vai celebrar a lusofonia. Serão premiados ainda sete escritores de países de língua oficial portuguesa, nomeadamente, Sidney Rocha do Brasil e Olinda Beja de Santo Tomé Príncipe. Os restantes homenageados do FFIL tinham já sido anunciados: Raul Calane da Silva, de Moçambique, Lopito Feijóo de Angola, Tony Tcheka da Guiné-Bissau e o cabo-verdiano Jorge Carlos Fonseca.

“Vivemos tempos muito sensíveis e mais do que nunca precisamos de apoiar a cultura escrita e falada em português. O FFIL- Freixo Festival Internacional de Literatura já é um movimento cultural de referência para a região, onde a vida e obra de Guerra Junqueiro assumem um papel de relevo. Continuamos a trabalhar para elevar a cultura portuguesa, tal como ela merece ser tratada e partilhada por todos aqueles que comungam essa mesma vontade. Não podíamos deixar de celebrar”, argumenta a presidente da Câmara de Freixo de Espada à Cinta, Maria do Céu Quintas. 

O festival literário arranca na próxima sexta-feira com a entrega do prémio Literário Guerra Junqueiro à poetisa portuguesa, que decorrerá no jardim do Museu da Seda e do Território. Nesta quarta edição do festival vai ainda ser feito o anúncio oficial do FFIL Lusofonia, programado para Novembro de 2020, em Cabo Verde. O evento vai decorrer mediante as medidas Covid-19, com acesso condicionado e uso obrigatório de máscara de protecção dentro das instalações. Na praia fluvial da Congida vai decorrer, no sábado, a sessão “Ao Encontro de Guerra Junqueiro – O Douro como Identidade de uma Literatura Universal”. O primeiro prémio literário Guerra Junqueiro foi atribuído ao poeta Manuel Alegre, em 2017. Foram ainda distinguidos em 2018 Nuno Júdice e em 2019 José Jorge Letria.

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro