Fabrice Fernandes conquista títulos mundiais em Point Fighting e Light Contact

Sáb, 10/11/2018 - 12:43


O atleta brigantino fez história na Argentina ao serviço da Selecção Nacional de Kickboxing. Fabrice iniciou-se na modalidade há cinco anos e conseguiu os dois primeiros títulos mundiais.

Fabrice Fernandes é o mais recente motivo de orgulho dos portugueses, mas em particular dos brigantinos.

O atleta da Associação de Desportos de Combate de Macedo de Cavaleiros e do Clube de Combate do Nordeste (ADCMC/CCN) conquistou duas medalhas de ouro no Campeonato do Mundo de Kickboxing da WKF, que terminou no sábado, em Buenos Aires na Argentina.

Fabrice Fernandes é campeão do mundo nas disciplinas de Point Fighting, sénior -71kg, e de Light Contact.

Esta foi a estreia do atleta, de 20 anos, numa prova mundial que reuniu os melhores da modalidade e mais experientes. “Confesso que tinha algum receio do que ia encontrar, era a minha estreia”, começou por contar o atleta que confessa ter trabalho arduamente para estar a cem por cento para a competição.

“Um mundial exige mais treino, mais trabalho. A preparação física e psicológica é muito importante. Trabalhei muito ao longo de vários meses para isto”.

Ser chamado para o mundial “já foi bom” mas ser campeão “foi excelente”, afirmou bastante satisfeito Fabrice Fernandes.

E foi com bastante emoção que o brigantino subiu ao lugar mais alto do pódio para ser aplaudido e para ouvir o Hino Nacional. “Representar Portugal é muito especial. Senti uma emoção muito grande. Quanto terminei o combate final, nas duas disciplinas, ainda não tinha caído em mim. Só quando subiu ao pódio é que tive noção do que tinha acontecido. Estou entre os melhores da modalidade”.

Antes de entrar na arena, segundo o atleta, há “sempre um nervoso miudinho” que desaparece assim que começa o combate, ainda mais em contexto de selecção e numa prova mundial.

“Saímos da nossa zona de conforto e temos que nos adaptar. O apoio do meu treinador (Luís Durão), do seleccionador, amigos e família foi muito importante”, acrescentou.

No mundial estavam as grandes potências do kickboxing e na final de Point Fighting o adversário era da casa e “bastante experiente”. “Aqui era a minha estreia nesta disciplina, confesso que não estava muito à vontade. O meu adversário vinha do Taekwondo e impôs-me muitas dificuldades. Em Light-Contact senti-me melhor. Era um adversário espanhol e muito guerreiro”, recordou.

Fabrice Fernandes quer manter-se na rota das grandes competições internacionais. Para já centra as atenções nas provas caseiras, que já lhe valeram três títulos regionais, três nacionais e um de Jovem Promessa do Futuro, todos em Light-Contact.

 

 

 

Jornalista: 
Susana Madureira