Opinião

21/03/2017

Nasceu em Vila Flor por 1502. Os seus pais foram batizados em pé e “faleceram cristãos”. Ele foi batizado em criança, “como os filhos dos cristãos-velhos” e foi seu padrinho Diogo Lopes, castelhano. Fez-se mercador e “granjeava a sua vida a tratar em Castela”.

21/03/2017

É aceite por muitos teóricos contemporâneos que a política é pendular, o que significa que as ideologias se sucedem em experiências de eterno retorno, como quem regressa a modelos já anteriormente ensaiados, mas que de novo possam responder aos ideais, ou aos interesses, depois da exaustão e do f

21/03/2017

Nos últimos anos têm vindo a público, ininterruptamente, notícias surpreendentemente escandalosas, envolvendo políticos e partidos, bancos e banqueiros, administração pública e empresas públicas, o Regime e a governança da Nação.

21/03/2017

Na semana que terminou foi notícia a implantação de um coração artificial. Não se tratando de um coração completo, mas apenas de uma bomba mecânica auxiliar do órgão humano, não deixa de ser um passo importante no bom sentido.

21/03/2017

Com a adesão à União Europeia, Portugal tem beneficiado desde 1995 até ao presente, de significativas ajudas para o desenvolvimento e a coesão, visando a convergência em termos de PIB per capita com os países da União.

14/03/2017

Domingo de Páscoa de 1497 aconteceu em Portugal o mais terrível ato de religiocídio. Com efeito, por ordem do rei D. Manuel, as crianças judias foram tiradas aos pais e entregues a famílias cristãs que as levaram às igrejas a batizar e com elas ficaram para as educar.

14/03/2017

Que as artes e as letras florescem em tempos de paz, já há muito se diz.

14/03/2017

Um dia destes fui surpreendido com uma notícia em que o repórter, de queixo no ar e boca escancarada de espanto, deu a boa nova:

14/03/2017

O Nordeste tem geografia, tem história, tem impante património imaterial e material, tem gastronomia, tem, tem tudo se me é permitido tentar fazer graça lembrando o comércio do Senhor «tem tudo», o qual acabou por nada ter.

14/03/2017

Muito boas tardes, bons olhos vos vejam minha estimada gente. Ora deixem-me lá sentar um pouco aqui junto a vós neste banco de pedra. Deixem-se estar que cabemos todos. Ah, que bem que se está aqui. Março, marçagão, tardes soalheiras à espreita, já começam a saber bem as sombras.