Entrevistas

“Más línguas, boas conversas” é o título do livro e foi também o título da crónica que a jovem de 27 anos começou por escrever em 2013, no jornal quinzenal Terra Quente, do grupo Pressnordeste, do qual o Jornal Nordeste também faz parte. 
Há cerca de uma década, Domingos António, pianista de reconhecido talento, foi objecto de múltiplas referências na comunicação social portuguesa.

Fernando Vilares Ferreira é o juiz presidente do Tribunal Judicial da Comarca de Bragança desde 2014, altura em que entrou em vigor a reforma judicial que encerrou e desclassificou 47 tribunais em todo o país. Considera que esta reforma teve mais aspectos positivos do que negativos e até melhorou o funcionamento da justiça na comarca. No entanto, desde o início considerou a desqualificação do tribunal de Miranda do Douro um erro. Por isso fica satisfeito com a requalificação deste futuro juízo.

António Júlio Andrade, é natural de Felgueiras e casou na localidade de Larinho, ambas no concelho de Torre de Moncorvo. O professor reformado desempenhou vários cargos relacionados com a cultura do concelho de Torre de Moncorvo, tenso sido também vereador do Município.
Há vários anos que se dedica ao estudo da influência e descendência da cultura judaica em Portugal, em conjunto com a investigadora Maria Fernanda Guimarães,com especial enfoque no nordeste transmontano. Sobre este tema, ambos publicam, regularmente, artigos no Jornal Nordeste. No passado dia 22, António Júlio Andrade apresentou em Miranda do Douro o mais recente livro da dupla de investigadores: “Judeus em Trás-os-Montes - A Rua da Costanilha”.
O Jornal Nordeste esteve à conversa com o autor que fala sobre a importância de criar uma rota do judaísmo em Trás-os-Montes.

 

O Jornal Nordeste conversou com Tomé Pinto a propósito da homenagem, da sua carreira militar, da guerra colonial e da ausência de comemorações dos 41 anos do 25 de Novembro.O General Tomé Pinto foi homenageado em Moncorvo, onde apresentou um livro sobre a sua carreira militar, mas também sobre as suas raízes, na aldeia de Maçores.
A cerimónia contou com a presença de Ramalho Eanes, que prefaciou a obra.
O Jornal Nordeste conversou com Tomé Pinto a propósito da homenagem, da sua carreira militar, da guerra colonial e da ausência de comemorações dos 41 anos do 25 de Novembro.

 

“No Parque Natural de Montesinho tudo é fundamentalismo e hipocrisia”.

O Município de Bragança tem-se revelado um exemplo no que diz respeito à aposta na área do desporto.
Hernâni Dias, presidente da autarquia, vê no desporto um factor de desenvolvimento das localidades e de dinamização do território.

O chef de cozinha Manuel Bóia, natural de Santulhão, Vimioso, trabalha há três anos no “Bica do Sapato”. O conceituado restaurante foi o local onde realizou o seu estágio de formação, depois de ter frequentado o curso de cozinha na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa.

O maratonista natural de Miranda do Douro cumpriu um sonho antigo, participou nos Jogos Olímpicos. A verdade é que o sonho tornou-se um pesadelo pois o atleta do S.L. Benfica terminou a maratona, no Rio de Janeiro, completamente esgotado e na posição 134.

Maria Manuel tem 13 anos e é uma jovem transmontana apaixonada pela cozinha. Nasceu em Bragança e aos dois anos mudou-se com a família para Alfândega da Fé, considerando-se, por isso, alfandeguense.