PUB.

Mantorras (Macedo): “Procuro dar sempre o máximo em cada treino e em cada jogo”

PUB.

Ter, 19/01/2021 - 13:08


Tiago Mendes, “Mantorras” no futebol, lidera a lista de melhores marcadores do campeonato distrital de futebol. O ponta de lança já facturou nove vezes e apontou um hat-trick. A cumprir a segunda temporada com a camisola do Macedo, Mantorras quer terminar a prova com o estatuto de melhor marcador e ajudar a equipa a sagrar-se campeã distrital.

 

- O Macedo lidera isolado o campeonato. Como avalias para já o grau competitivo do distrital?

 Tem sido um campeonato competitivo basta ver a tabela classificativa.
Ano após anos as equipas têm-se reforçado bem e tem sido campeonatos resolvidos quase sempre no final.

- O Macedo desde cedo foi apontado como o principal candidato ao título. Esse rótulo trouxe em algum momento pressão ao grupo?

Sinceramente colocamos pressão em nós próprios. Quem jogar futebol e não gostar deste tipo de pressão de estar a lutar pelo título então é melhor deixar de jogar. A nossa pressão é de ganhar todos os fins de semana, pensamos apenas no jogo a jogo como se de finais se tratasse.

- A conquista da taça é outro dos objectivos do clube?

Sim. Sentimos que temos um plantel e uma equipa técnica que nos dão garantias que podemos estar nas duas frentes e lutar por elas. Todas as pessoas que fazem parte daquele clube trabalham de uma forma brilhante e todos merecem que demos o máximo nos treinos e jogos.

- Como é que o plantel lidou com a questão da Covid-19, que afectou grande parte dos jogadores e equipa técnica?

Foi uma situação que nos deixou um pouco surpreendidos pois sempre tivemos muita precaução e sempre cumprimos com as normas estipuladas pela DGS.
Todas as pessoas no clube cumpriram a risca as normas e tínhamos e temos todas as condições para treinar e jogar sem correr riscos nenhuns.
Infelizmente, não podemos controlar este vírus como ninguém consegue e só tivemos uma solução que foi trabalhar o máximo que conseguimos em casa dentro das nossas possibilidades.

- Tem sido fácil treinar e jogar com tantas restrições devido à pandemia?

Não tem sido um ano fácil. É tudo novo e estranho, mas sabemos que é para nosso bem e para o bem das nossas famílias, não podemos facilitar e sabemos que por mais que custe temos que cumprir sempre as regras que estão estipuladas e muito bem pelo nosso clube.

- Como é que os jogadores lidam com a ausência de público nas bancadas? Tirou emoção aos jogos?

Não ter adeptos no estádio é o que nos custa mais. É difícil estar a jogar com o estádio completamente vazio. É claro que isso tira emoção aos jogos, mas temos de saber ultrapassar mais esse obstáculo e acho que a nossa resposta tem sido muito positiva, felizmente temos conseguido ultrapassado vários obstáculos durante a época e certamente tentaremos ultrapassar os que ainda venham no futuro.

- Nos próximos 15 dias, e talvez um mês, enquanto durar o confinamento, o distrital vai estar parado. Concordas com esta decisão da FPF?

Sinceramente não quero muito dar a minha opinião sobre esse aspecto, nada iria mudar e só temos de perceber a situação que estamos não depende de o distrital estar ou não parado. Temos de trabalhar o máximo para não perdermos a forma física para quando voltarmos estarmos mais preparados para o trabalho no campo.

- Achas que pode afectar o rendimento da equipa?

Claro que acaba sempre por afetar porque ninguém queria estar nesta situação, preferíamos estar a treinar e a jogar normalmente, mas já paramos uma vez e conseguimos voltar ainda mais fortes e é nisso que estamos focados novamente.

- És o melhor marcador do campeonato distrital com nove golos em oito jornadas e já ultrapassaste os números da temporada passada, que terminou quando estavam decorridas 13 jornadas e tinhas oito golos para o campeonato. O teu objectivo pessoal é conseguires o estatuto de melhor marcador tal como há duas épocas?

O meu primeiro pensamento e objectivo, época após época, é sempre o coletivo em primeiro, dar o máximo de mim para atingir os objectivos aos quais o clube quer atingir em cada final de época. Depois, sim, surgem os objectivos individuais, mas muito sinceramente nunca estou obcecado com eles, procuro dar sempre o máximo de mim em cada treino e em cada jogo. Felizmente, tento sempre mais e nunca me contento nem contentei com aquilo que já fiz no passado, na minha cabeça está sempre o próximo jogo e não os jogos que já passaram. Tenho a certeza que com esse pensamento consigo ser mais forte dia após dia, semana após semana.

- Fizeste um hat-trick frente ao Carção contribuindo para a vitória por 6-0. Olhando para o resultado foi o jogo mais fácil para o Macedo?

Não, sinceramente nós sempre respeitamos o nosso adversário o máximo possível e sabemos que não temos jogos fáceis, felizmente nesse jogo conseguimos pôr em prática tudo que tínhamos pensado e treinado durante a semana. Fomos muito competentes em todos os aspectos do jogo daí o resultado ser merecido por tudo que fizemos duramente os 90 minutos contra um adversário difícil, com bons jogadores e bem trabalhada por um treinador que conheço bem e que sei que gosta de colocar as equipas a jogar um bom futebol com uma identidade muito própria.

 

Fotos de Diogo Pinto