Alfândega promove debate sobre Agricultura, Agro-indústria e Florestas

Ter, 26/01/2021 - 11:53


Autarca lamenta a redução da produção pecuária e a falta de apoio na área da agro-indústria.

O município de Alfândega da Fé está a promover um ciclo de webinars para o Futuro, com o propósito de criar uma agenda estratégica 20/30. Na primeira sessão, que teve como tema “Agricultura, Agro-indústria e Florestas”, o presidente da câmara municipal afirmou que tem havido pouco apoio na área da agro- -indústria. Segundo Eduardo Tavares este sector necessita de constante modernização e é necessário mais financiamento e “fortalecer nos próximos anos os apoios para a agro-indústria de base” no concelho, como o sector do azeite, frutos secos, vinho ou pecuária, que “nos últimos anos tiveram um grande crescimento”. “Todos os programas de apoio para capacitar a nossa agro-indústria têm tido pouco dinheiro, com taxas de financiamento muito baixas, para não falar da discriminação que as cooperativas tiveram também”, sublinhou o presidente do município, que destacou que os empresários do sector, associações e cooperativas se têm deparado com “uma grande dificuldade em modernizar as instalações”. O autarca de Alfândega deixou também preocupações em relação à dificuldade de acesso à terra e emparcelamento, bem como no que diz respeito à produção pecuária, já que no concelho se tem registado “um forte decréscimo do efectivo pecuário” nos últimos anos. “Houve uma redução de 20% do efectivo pecuário no concelho e uma redução de cerca de 10% de explorações”, avançou Eduardo Tavares que revelou que o município vai passar a apoiar os produtores pecuários com as despesas relacionadas com a sanidade animal “ainda este ano”. O concelho de Alfândega tem actualmente 5600 ovinos e 1500 caprinos, efectivo que tem vindo a diminuir. Também participou nesta sessão online o secretário de Estado da Agricultura que destacou que as medidas agro-ambientais vão continuar a ser pagas no período de transição até ao próximo quadro comunitário de apoio. Rui Martinho frisou ainda que a Rede de Inovação para a Agricultura vai incluir um pólo em Mirandela. O laboratório na Quinta do Valongo vai dedicar-se ao olival e azeite, produção animal, pastagens e forragens. “O conhecimento é essencial para cumprirmos um dos desígnios desta fase histórica, no caminho para uma neutralidade carbónica, para promover uma agricultura alinhada com o pacto ecológico europeu e a estratégia do prado ao prato. A rede de inovação inclui 24 pólos de excelência e pretende criar uma estrutura de proximidade com todas as agriculturas do território, que são muito diversas”, destacou. Já a directora Regional de Agricultura e Pescas do Norte adiantou que, no âmbito do PDR 2020, houve, no concelho de Alfândega da Fé, 133 candidaturas aprovadas e 33 milhões de apoio ao investimento. Carla Alves falou ainda das prioridades identificadas pela região Norte para o próximo pacote da Política Agrícola Comum. “A importância de implementar uma rede de apoio para instalação de jovens agricultores, nota-se muitas vezes que existe ainda pouco apoio, outro ponto que deixámos no PEPAC para reflexão é o apoio à capacitação e profissionalização das organizações de agricultores, como as cooperativas e as juntas de regantes e, por último, o apoio à pequena agricultura familiar”. O ciclo de webinars faz parte do processo de criação da agenda estratégica 20/30 para o município de Alfândega da Fé. O processo inclui ainda inquéritos à população, empresas e instituições do concelho.

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro