PUB.

Câmara de Vinhais leva transporte flexível a mais 11 aldeias

PUB.

Sex, 06/11/2020 - 11:47


O serviço de transporte flexível de Vinhais, que serve para transportar as pessoas das aldeias para a vila, foi retomado ontem.

 Para ajudar a travar a propagação do vírus, o serviço de transporte público flexível em táxi foi interrompido no mês de Março e, sete meses depois, está de regresso para apoiar os vinhaenses que precisam de ir à sede de concelho. “Começámos agora tendo em conta o arranque do ano lectivo e a organização dos transportes escolares. Foi necessário articular as duas situações e agora estamos em condições de retomar este serviço”, esclareceu o presidente da câmara de Vinhais, Luís Fernandes, que sublinhou que, ainda assim, vão existir alguns “constrangimentos” já que a lotação dos carros não é a mesma, tendo em atenção as regras que foram impostas pela Direcção-Geral de Saúde. A par deste recomeço, a câmara de Vinhais integrou mais seis circuitos no serviço. “Tínhamos 18 e agora temos 24”, confirmou Luís Fernandes. Serão assim abrangidas mais 11 localidades, ou seja, passam a ser 65 aldeias a beneficiar do serviço de transporte, que foi implementado em 2017, em regime experimental, surgindo para colmatar a falta de resposta por parte do sistema de transporte público de passageiros. “Todas as freguesias são abrangidas mas não são todas as aldeias, uma vez que há algumas que têm transporte regular de passageiros e aí não se justificava”, explicou o autarca, frisando que “ninguém está esquecido”. No ano passado a autarquia gastou cerca de 60 mil euros com este serviço. Afirmando que “o município de Vinhais continua assim a apoiar todos os seus munícipes, para que todos possam usufruir de melhores condições de vida”, Luís Fernandes garantiu que os circuitos não são estanques e que o serviço pode ser melhorado se assim se justificar. “Não temos transportes regulares em várias aldeias e tivemos que encontrar uma solução para ajudar as pessoas nas deslocações à sede de concelho, tendo em vista as suas necessidades mais básicas. Estamos a averiguar todas as necessidades que possam surgir”, assumiu o presidente. O autarca considerou ainda que “este serviço tem vindo a ser melhorado quer em termos de cobertura do território, abrangendo mais localidades, quer em termos de operacionalização e eficiência”. Em 2019 o serviço abrangeu 54 aldeias e transportou à sede de concelho 2419 pessoas, na sua maioria idosos e com problemas de mobilidade.