Clientes de cafés e bares adaptam-se à proibição de fumar em espaços fechados

Qua, 13/01/2021 - 15:13


Em vigor desde 2016, interdição total de fumar em locais públicos fechados só se tornou efectiva com a entrada deste ano.

Desde o início deste ano, entrou em vigor a proibição total de fumar em espaços fechados. O prazo para cafés e bares se adaptarem às imposições pela nova lei do tabaco terminou no final de 2020. As alterações da lei de 2015 entraram em vigor em Janeiro de 2016, mas a proibição total de fumar em espaços públicos fechados só se tornou efectiva a 1 de Janeiro de 2021. Alguns proprietários de cafés em Bragança até já tinham decidido antecipar a proibição para a transição ser mais fácil. “Há um ano que já não se fuma aqui, tomámos a iniciativa um pouco antes. Está melhor na questão de limpeza e de qualidade do ar”, afirma Alexandre Colauto, funcionário de um café na cidade. No entanto reconhece que “alguns clientes deixaram de vir porque não se pode fumar, mas a grande maioria acabou por se adaptar”. De vez em quando ouvem algumas reclamações, mas entende que acabaram mesmo “por ganhar mais clientes”. Por outro lado, Manuel Fernandes diz que apesar de as pessoas já estarem a adaptar-se, a proibição é “má para o negócio, porque as pessoas estavam habituadas a tomar um cafezinho e fumar o cigarrinho”. Apesar de no seu café, que o filho também gere, também a proibição já ter sido adopatada desde o Verão, acredita que “é mau para os cafés”, porque as pessoas “não vêm para aqui para fumar ao frio e algumas preferem ficar em casa”. Já André Guedes considera que “isto já devia ser há muito mais tempo” e diz mesmo que “não fazia sentido sermos o único país da União Europeia que permitia fumar em locais fechados”, sublinhou. O proprietário de outro bar admite que há reclamações, mas “é pouca gente”, “mesmo os que fumam dizem que o ambiente está melhor” e que a proibição não está a afastar clientes. Quanto aos frequentadores dos espaços nem todos concordam com a medida, mas mesmo alguns fumadores vêem vantagens nesta proibição de fumar em espaços fechados. “Claro que um fumador preferia fumar na mesa, para não ter que se levantar e vir cá fora, mas por um lado acho bem por causa do cheiro e da concentração de fumo”, admite Isac Roberto, um cliente também fumador. Já Gonçalo Rafael acha “desnecessário”. “Venho cá fora fumar um cigarro e apanho frio. E agora as pessoas vão para a rua fumar e juntam-se todas à porta do café”, argumenta. A nova lei mantém algumas excepções para certos espaços públicos, sendo permitida a criação de salas destinadas a fumadores, desde que sejam cumpridos determinados requisitos, como a devida sinalização e um sistema de ventilação para o exterior com extração de ar que permita a manutenção de uma pressão negativa.

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro