Cachão a caminho de se tornar pólo tecnológico do sector agro-alimentar

Ter, 15/09/2020 - 18:12


Plano foi apresentado à ministra da Coesão Territorial a quem os autarcas pediram apoio

Vão ser precisos cerca de 4 milhões de euros para implementar a primeira fase do Plano de Revitalização do Complexo Agroindustrial do Cachão. Depois de elaborado o estudo e concluído um plano de viabilização económica, o projecto foi apresentado dia 9 à ministra da Coesão Territorial, que visitou a complexo, a quem os autarcas pediram apoio e a atribuição urgente de fundos comunitários para esta requalificação, que terá de ser realizada por fases. O objectivo é transformar o Cachão num pólo de serviços especializados em tecnologia na área do agro- -alimentar e agro-industrial, para apoiar o sector. “Queremos trazer para aqui tecnologia ligada ao agro-alimentar com vista a criar vários projectos de consultoria às empresas, ficando aqui a mais-valia da transformação dos produtos agrícolas e potenciando o mercado interno e internacional. Um conceito diferente, mais inovador, que possa capacitar as empresas nas fileiras de excelência que a região tem, para que possa competir no mercado”, explicou a presidente da câmara de Mirandela, Júlia Rodrigues. Os objectivos passam também por promover marcas de produtos locais, atrair empresas para o espaço e que haja investimento privado, mas contando com o envolvimento do Instituto Politécnico de Bragança, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, associações empresariais e agrupamentos de produtores. A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, defendeu que este é o momento certo para avançar com um projecto para dar uma nova vida ao Cachão. “É um momento em que estamos a acabar um quadro comunitário que não está totalmente executado, estamos a iniciar um quadro comunitário novo e estamos a receber as verbas da solidariedade europeia, no âmbito do programa de recuperação e resiliência. Se este não for o momento não encontro outro momento para fazermos projectos transformadores no território”, referiu. O presidente da câmara de Vila Flor, Fernando Barros, também considera que chegou a hora e que estão reunidas as condições para revitalizar o Complexo Agroindustrial do Cachão. “É um projecto fundamental para a parte sul do distrito, mas também para o distrito todo. Temos um pólo importante que é o Brigantia Ecopark mas queremos criar aqui um para a agro-indústria. Acho que este é o momento temos condições para que isto possa ser feito”, afirmou. Certo para já é a atribuição de cerca de 200 mil euros, através do Fundo Ambiental, para, até Dezembro, terminar a retirada dos escombros dos armazéns que arderam e onde foram acumuladas várias toneladas de plástico e papel e ainda para renovar a vedação do complexo.

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro