Zasnet teme que mina retire selo da Unesco à reserva da biosfera da Meseta Ibérica

Ter, 26/01/2021 - 11:56


AECT alerta para impactos ambientais negativos do projecto de extracção a céu aberto em Espanha.

O Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Zasnet mostra-se preocupado com o projecto de instalação de uma mina a céu aberto muito poluente, em Calabor, Espanha. O AECT, que abrange territórios do Nordeste transmontano, de Salamanca e Zamora, considera que esta exploração de estanho e volfrâmio pode mesmo pôr em causa o selo da UNESCO atribuído há cinco anos à Reserva da Biosfera Transfronteiriça da Meseta Ibérica. Segundo Hernâni Dias, presidente da Zasnet, não é possível integrar “nos objectivos desta reserva ecológica uma mina a céu aberto” como aquela que é proposta. “Entendemos que a instalação desta mina é altamente poluente, não só a nível local, afectando uma área muito maior do que aquela que seria expectável, mas também ao nível do solo, da água e também da atmosfera”, bem como “altamente prejudicial para os ecossistemas, em todo o território, com especial incidência em áreas protegidas e classificadas”, frisou. O agrupamento territorial entende ainda que o investimento seria lesivo para as populações nas proximidades da mina e para actividades na reserva como turismo de natureza. O também presidente da câmara de Bragança considera que o empreendimento mineiro pode pôr em causa o projecto de investimento do Zasnet no valor de 2 milhões de euros, de promoção do património cultural, produtos autóctones, natureza e turismo. “Consideramos que há graves implicações ambientais e também grandes prejuízos para o projecto que neste momento estamos a desenvolver, na Reserva da Biosfera, com um montante financeiro aproximado de 2 milhões de euros”, referiu. A aposta da Zasnet passa pelo estudo e implantação da marca corporativa da RBT Meseta Ibérica, organização de eventos, criação de centros interpretativos, bem como de rotas e pacotes turísticos e ainda de um observatório turístico. A Zasnet espera que este projecto mineiro, mesmo no coração da Reserva da Biosfera da Meseta Ibérica, não vá para a frente e já enviou esta posição à UNESCO, nomeadamente ao presidente da comissão nacional deste organismo da ONU. 

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro