Edifício do Ministério da Agricultura em Bragança precisa de obras profundas

Ter, 09/02/2021 - 10:19


O edifício do Ministério da Agricultura tem vindo a degradar-se de ano para ano e precisa de obras profundas de requalificação.

Apesar de já terem sido feitas pequenas obras para melhorar as condições do edifício, não são suficientes. Foi instalado na década de 80 e tinha o prazo máximo de utilização de 25 anos, mas já passaram 40 e ainda está a funcionar. Situado na zona agrária, integra serviços da Direcção Regional de Agricultura e Pescas (DRAP) do Norte e também serviços da Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária. Este é um dos 30 edifícios e quintas do Norte que estão a cargo da DRAP. Tendo em conta o seu estado de degradação, já foi submetida uma candidatura ao Fundo de Reabilitação para financiamento da empreitada, que pode custar mais de 172 mil euros. “Alteração da cobertura, das caixilharias, melhoramento de paredes e chão, uma remodelação que alterará por completo a comodidade e também o aspeto do edifício”, disse a directora da DRAP Norte. Embora antigo, Carla Alves garante que tem condições de comodidade e segurança para albergar os 20 trabalhadores, 14 da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte e 4 da Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária. “Nunca recebi queixas. Sabemos que o edifico é antigo, a nível de aquecimento tem sempre que se ligar vários equipamentos, algumas divisórias são um bocadinho antigas, mas é um edifício que ainda oferece dignidade a quem ali trabalha e a quem recebemos”, afirmou. A Câmara de Bragança já disponibilizou uma parte do Mercado Municipal para a instalação destes serviços, mas Carla Alves considerou que o “local não oferece as condições necessárias para os requisitos que são precisos para receber com dignidade os nossos funcionários e agricultores”. Por outro lado, o autarca Hernâni Dias defende que o edifício que estavam a propor é “excelente para o efeito”, uma vez que tem comércio associado ao sector agrícola e está próximo de onde se realizam as feiras. “No nosso entendimento era o melhor local que poderíamos encontrar para instalar esses serviços”, referiu o presidente da Câmara, salientando que o edifício do Ministério da Agricultura está “completamente desenquadrado da arquitectura da sua zona”. O PSD entende que “compete” ao Ministério da Agricultura “proporcionar as condições mínimas de conforto aos seus trabalhadores e também aos utentes”. Por isso, a deputada eleita por Bragança já questionou a ministra sobre se o Governo prevê obras de requalificação. “São as piores instalações que o serviço da administração pública tem em Bragança ou das piores que eu conheço até no país. Eu vou lá várias vezes e realmente está completamente degradado. Uma construção muito débil, tem amianto e toda a gente sabe que constituiu um perigo para a saúde de quem lá trabalha e para os agricultores que vão lá”, afirmou Isabel Lopes.

Jornalista: 
Ângela Pais