PUB.

João Tiago pendura as luvas aos 21 anos

PUB.

Qui, 23/07/2020 - 16:52


Uma decisão que surpreendeu. João Tiago, guarda-redes de 21 anos, colocou um ponto final na sua curta carreira. O guardião, natural de Bragança, fez formação no SC Braga, Naval e Rio Ave. Como sénior passou pelo S.C. Mirandela e G.D. Bragança.

“Foi a decisão mais difícil da minha vida” é desta forma que João Tiago descreve o momento em que decidiu pendurar as luvas.

Deixar as quatro linhas é algo natural para quem anda no mundo do futebol, pois a profissão é de curta duração, mas aos 21 anos causa alguma surpresa.

João Tiago explica que houve “uma conjugação de factores” que contribuíram para a decisão, mas, na verdade, o que mais pesou foi uma lesão antiga.

“O mais determinante foi a minha lesão na mão, que me tem atormentado e impossibilitava-me de estar ao meu nível. Cada dia era uma luta, em muitos deles as dores eram tão fortes que eu só esperava ansiosamente pelo fim dos treinos. Pelo amor que tenho por este jogo, não estar a conseguir desfrutar dele em pleno, deixava-me frustrado. Cheguei várias vezes, principalmente no último ano a meio, a acabar os treinos e nem conseguir pegar no volante com a mão esquerda. Percebi que tinha que pensar em mim, na minha saúde e tomar uma decisão”, explicou.

O guardião lesionou-se ainda no SC Braga, era juvenil, e em 2019 teve mesmo que fazer uma cirurgia.

Tomar a derradeira decisão foi uma dor de cabeça interminável. “Foi a mais difícil da minha vida, como podes imaginar. Muitas horas a pensar, muita reflexão. Estas últimas horas desde que decidi tornar público têm sido intensas, como muita chamadas e mensagens, o que me deixa muito contente. É sinal que por onde passei, deixei marca em muita gente, principalmente pela pessoa que sou, que é o mais importante”.

João Tiago garante ainda que não foi por falta de propostas, uma delas do Grupo Desportivo de Bragança, que decidiu concluir a carreira.

Admirador confesso do brasileiro Júlio César desde tenra idade, João Tiago teve o privilégio de fazer formação no SC Braga, um dos clubes referência em Portugal, passando ainda pela Naval e Rio Ave. Experiências que deram uma grande bagagem ao brigantino, não só a nível profissional como pessoal.

“Sinto-me um privilegiado. Acima de tudo, levo histórias para contar e uma bagagem de conhecimento que absorvi de todos aqueles com quem tive o prazer de trabalhar. Pessoas e profissionais incríveis, que me ensinaram muito quer sobre o jogo, mas também sobre a vida”, frisou.

Do desporto rei leva amigos para a vida e pessoas que o marcaram a vários níveis. “Todos me marcaram e não gosto de especificar muito pois seria injusto para todos os outros. Mas claro, uns marcaram me mais que outros, e a esses, em especial, alguns já tive a oportunidade de agradecer, e aqueles que ainda não tive, vou certamente fazê-lo porque merecem que o faça”.

Do dia-a-dia do futebol vai sentir falta do companheirismo e, como se diz na gíria, do cheiro da relva e do balneário. “De tudo, mas acima de tudo dos balneários. Sempre tive a sorte de partilhar com pessoas incríveis”.

João Tiago pendura as luvas, mas não deixa o futebol. Recentemente terminou o Curso de Treinadores UEFA C e admite que quer enveredar pela área treino. “Quero ser treinador. É uma paixão que sempre tive e que tem crescido dentro de mim”.

O jovem guarda-redes também está a concluir a licenciatura de Desporto no Instituto Politécnico de Bragança.