PUB.

Saúde mental - Cuide de si!

PUB.
Durante uma crise como a que atravessamos, associada à pandemia de COVID-19, é normal que possa sentir-se assustado, ansioso ou preocupado. O fluxo contínuo de notícias na televisão e na internet sobre a pandemia, o vírus e todos os acontecimentos associados sucedem-se de forma rápida, o que pode ser perturbador. Com grande facilidade ficamos demasiado envolvidos no que se está a passar.

Alguns dos sintomas e sinais de ansiedade podem ser:
• Medo;
• Dificuldade em adormecer;
• Alteração de comportamentos alimentares e de sono;
• Aumento do consumo de álcool, tabaco ou outras substâncias nocivas;
• Degradação da doença mental ou crónica.
Existem grupo mais vulneráveis a crises como a atual, destacando-se, em particular, os idosos, profissionais de saúde, cuidadores e pessoas com doenças crónicas.
Aprender a lidar com o stresse vai torná-lo a si, aos seus amigos e familiares e a toda a comunidade mais fortes.
Damos algumas sugestões que podem ajudar a manter a serenidade.

Converse sobre os seus receios com alguém em quem confie
- Falar com pessoas em quem confia pode ajudar a lidar com as suas emoções. Contacte os seus amigos e familiares. É possível que perceba que também eles sentem o mesmo.
É muito fácil sentirmo-nos tomados pelas nossas emoções negativas. Procure falar com pessoas que estão a lidar melhor com as dificuldades e evite as que estejam muito ansiosas.
- Se se sentir muito angustiado ou perturbado, procure ajuda, contacte o seu médico de família ou o Serviço de Saúde Mental do Hospital da sua área de residência. A Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste tem disponível uma linha de apoio psicológico à comunidade, que pode contactar através do número 273 302 850, de segunda a sexta-feira, entre as 09h e as 19h. 

Tenha um estilo de vida saudável
Não poder sair de casa durante um tempo prolongado pode ser difícil. Manter uma dieta adequada, períodos de sono e descanso, exercício físico e uma rotina estruturada ajudam a manter-se centrado e mais tranquilo.
- Lembre-se que isolamento físico não é igual a isolamento social. Use e abuse do telefone, e-mail e redes sociais para se manter em contacto com familiares e amigos.
- Não fume, não consuma álcool e não consuma drogas na tentativa de lidar com as suas emoções. Se tiver problemas com álcool e drogas procure ajuda junto dos serviços de saúde da sua área de residência.

Aproveite o seu tempo
- Distraia-se com as atividades que lhe dão prazer e que possa fazer dentro de casa e que lhe deem mais tranquilidade, como ler, ver filmes ou cozinhar. No site COVID-19 encontra diversas ferramentas e manuais com sugestões úteis e adaptáveis ao gosto e horário de cada um. Pode aceder na internet em covid19.min-saude.pt/materiais-de-divulgacao
- Aproveite este período para fazer coisas para as quais não costuma ter tempo. Aproveite para aprender um novo hobby.
- O isolamento físico e quarentena não significam isolamento social. Apesar de cada um de nós ficar em sua casa, podemos usar a tecnologia para nos aproximarmos das pessoas. Ligue para os seus avós que estão sozinhos em casa, para os irmãos durante as refeições ou marque um café virtual com uma pessoa amiga.

Tenha atenção às suas fontes de informação
- Tenha uma visão crítica relativamente às informações que encontra (Facebook e outras redes sociais) e que não são disponibilizadas por instituições oficiais.
- Procure consultar fontes de informação fiáveis e em que possa confiar, tais como:
Informações e Esclarecimentos Oficiais do Governo Sobre a COVID-19
www.covid19estamoson.gov.pt
www.covid19.min-saude.pt
Direção-Geral de Saúde
www.dgs.pt
- Limite as suas preocupações e inquietações, e as da sua família, diminuindo o tempo durante o qual está a ver ou a ouvir notícias que considere perturbadoras.

Somos mais fortes do que julgamos
- Recorra a capacidades e competências que já o ajudaram no passado a lidar com situações adversas. Use-as para lidar com as suas emoções nos momentos mais desafiantes deste surto e siga as orientações das autoridades.
- Obtenha conhecimentos acerca dos seus fatores de risco e sobre as precauções a tomar. As autoridades de saúde pública e os especialistas em todo o mundo estão a trabalhar para assegurar a disponibilidade dos melhores cuidados de saúde para todos.

Fonte: Direção Geral da Saúde