PUB.

Magustão da Família do Tio João (pelo sexto ano consecutivo na RuralCastanea, em Vinhais)

Ter, 23/10/2018 - 10:34


Olá ilustres leitores da nossa página.

Já se lavaram os cestos, por conseguinte as vindimas já estão findas. O vinho, esse, já ferve nas pipas ou nas cubas, pois já muita gente da nossa região utiliza cubas de inox, embora ainda haja quem continue a preferir as tradicionais pipas. Estamos, portanto, na altura de fazer a água-ardente, aproveitando bem o lume do pote para assar as sardinhas e as batatas no borralho. Também já há quem ande de volta das sementeiras, mas do que todos estão à espera é das castanhas que, com a ajuda da ‘ponta de uma unha’ do furacão Leslie, começaram a cair a conta-gotas, obrigando a deslocações diárias aos soutos para ver como está o “pinga, pinga”.

Quero deixar aqui um alerta aos nossos tractoristas porque os acidentes não acontecem só aos outros. Não facilitem e utilizem sempre o arco de Santo António porque ficam mais protegidos.

No dia 17 de Outubro, a Rádio Brigantia festejou 32 anos, com uma emissão especial, em directo do Café Lisboa, em Bragança, que serviu também para eu recordar o meu baptismo em rádio, pois nunca me passaria pela cabeça vir a fazer da rádio a minha vida. De início comecei como moço de recados, mas em breve já estava a fazer um programa na rádio, de discos pedidos, com o nome de Clube FM, onde me tornei conhecido como Amândio Lopes, o único animador gago da rádio em Portugal.

No nosso programa o que é anunciado nunca passa despercebido. A dar razão ao que digo e ao provérbio “quem tem tenda que a atenda, senão que a venda”, o tio Alcino, de Alfaião, que já não se sente com forças para continuar a pastorear as suas ovelhas, pediu-me para divulgar que tinha 100 ovelhas para vender e se há quem queira vender, também há sempre quem queira comprar. Isto é serviço de utilidade pública.

De parabéns estiveram Felisberto (70), de Zebras (Valpaços); os irmãos Rui (43) e Rogério (41), filhos da tia Dalma Reis, de Bragança; Carlos Alberto (29), de Rio Frio (Bragança); Delmino Ferreira (55), de Grijó (Bragança); Ludovina (63), de Outeiro (Bragança) e Júlio Meirinhos (61), de Grijó (Bragança).

Que para o ano lhes continuemos a festejar a vida.

E agora vamos ao Magustão!...

 

 

Foi em Vinhais, mais uma vez na RuralCastanea, que foi instalada a fábrica de fazer amigos pois, pelo sexto ano consecutivo estivemos a dar muita vida a este certame.

Embora a feira tivesse sido idêntica às dos últimos anos, sentimos que houve mais família envolvida no Magustão, talvez pela curiosidade de conhecerem as novas caras da família, como é o caso do nosso primo Marco, de Estorãos (Valpaços) e da avó Laurinda, que este ano foram os reis dos beijinhos e dos abraços. Tivemos também a presença dos nossos amigos de Tabuaço (Viseu), que nos surpreenderam com um autocarro e encheram completamente um restaurante da vila. De facto, soubemos que todos os restaurantes estiveram cheios, apesar de muita gente ter levado merenda para compartilhar.

O palco esteve sempre repleto com os artistas do povo, nomeadamente o Zé Miguel, de 14 anos e o tio Póvoa, de Tinhela (Valpaços), o tio Agostinho de Vila Boa (Bragança), o tio Cassiano, de Carviçais (Torre de Moncorvo), o João, de 15 anos e a Letícia, de 13 anos, do Pópulo (Alijó), o tio Delmino Vaz, de Grijó (Bragança), o tio Neca Gaiteiro, de Romariz (Vinhais), o tio Luís Modinhas, da Paradinha (Bragança), a tia Aninhas Sernadela, de Bragança, as Concertinas Brigantinas, Francisco Cubo, que animou o baile com o seu órgão e acordeão e o tio Chedre, de Nunes (Vinhais), que além de tocar a sua concertina, voltou a vencer o concurso do “Comilão das Castanhas”, pelo terceiro ano consecutivo.

E este foi mais um antibiótico para o nosso povo que se fartou de dançar e já está à espera da próxima festa.