PUB.

Praia do Azibo com muita afluência de pessoas mas a cumprir distanciamento social

PUB.

Qui, 04/06/2020 - 16:23


A época balnear ainda não começou, mas o calor já convida a dar um mergulho.

Este fim-de-semana a praia do Azibo, no concelho de Macedo de Cavaleiros, estava cheia. Mas se antes um amontoado de pessoas era habitual, agora as pessoas tentam manter a distância de segurança. “Já estávamos com vontade de vir dar uma voltinha. Agora sabe bem”, começou por dizer Maria Adelaide Ferreira, de Bragança. Quanto ao receio de estar perto de outras pessoas, acredita que se todos cumprirem as regras de distanciamento não haverá problema. Ana Santos tem a mesma opinião, no entanto o receio já se faz sentir, até porque pode haver quem não cumpra. Mas se para uns uma tarde bem vivida é apanhar sol, para outros é na água. Tal como no areal, o afastamento deve ser mantido. António Campos é de Vila Flor e estar na praia fluvial com alguma afluência de pessoas também não o assusta. Dar um mergulho é que não poderia deixar de ser. “Porquê ter medo, estava na altura de sair um pouco. Já fui à água e, por acaso, quando fui não havia quase ninguém”. Mas não só de pessoas do distrito estava o Azibo cheio. Houve quem tivesse vindo de Chaves, de propósito para descansar ou até pessoas que são de outros países e estão imigrados em Portugal. Na praia havia também bebés. Apesar de se tratar de um espaço público e ao ar livre, é dos poucos sítios onde é possível passear com os mais novos. Sofia Pereira tem um bebé de meses e aproveitou para que ele pudesse também sair de casa, depois de vários meses de confinamento. “Com o bebé só podemos ir para espaços ao ar livre. Restaurantes está fora de questão”, referiu. O cumprimento das normas deve ser uma obrigação de cada um. Ainda assim, a GNR de Bragança tem realizado patrulhas. “Mesmo não tendo ainda começado a época balnear, nós temos intensificado o patrulhamento. Ainda neste fim-de-semana fizemos patrulhas a cavalo”, disse o Oficial de Relações Públicas da GNR, Hernâni Martins, referindo que alguns grupos foram alertados para o ajuntamento de pessoas e respeitaram sempre as autoridades e cumpriram o distanciamento. A época balnear nas praias fluviais do interior só começará entre 15 de Junho e 1 Julho. Neste momento a Agência Portuguesa do Ambiente está a decidir quais as normas a aplicar nestas praias, visto que para além das normas gerais, como a distância entre chapéus de 3 metros e o número restrito de pessoas numa área, terão regras mais específicas, segundo Hernâni Martins.

Jornalista: 
Ângela Pais