Governo apoia plantação de amendoal

Ter, 11/03/2008 - 11:53


A Associação Ibérica de Produtores de Amêndoa, com sede em Mogadouro, promoveu, no passado fim-de-semana, um seminário subordinado ao tema “Amendoeiras – Importância e Oportunidades para o Futuro”. A acção, que decorreu na Casa da Cultura daquela vila, realizou-se numa altura em que o Estado pretende apoiar a plantação de seis mil hectares de amendoal até 2013.

Na opinião das associações de produtores de amêndoa, esta é “a altura certa para apostar nesta cultura, com variedades auto -férteis, de floração tardia e mais produtivas e nos porta – enxertos GF677 e GXN15, que produzem até uma altitude de mil metros”.
No entanto, a expansão do amendoal na região de Trás-os-Montes e Beira Alta começa a ser feita com o apoio autárquico, perspectivando-se que sete municípios dos distritos de Bragança e Guarda entrem no processo.
Segundo o dirigente da Associação Amigos da Amendoeira, Joaquim Grácio, as ajudas podem chegar aos 500 euros por hectare. “Se com a ajuda das autarquias ao plantio as coisas começam a dar frutos, o mesmo já não se pode dizer em relação à atitude de alguns produtores, que introduzem amêndoa amarga no meio da doce, prejudicando a sua comercialização. Caso não haja cuidado poder ver-se desaparecer a amêndoa tradicional”, alertou Joaquim Grácio.

A par da aposta na flor das amendoeiras para atrair turistas, também é preciso produzir com qualidade

Na apanha deste fruto terá de haver o cuidado de não se juntar a amêndoa gerada na copa da árvore com aquela que nasce nos rebentos inferiores do tronco, uma situação que acontece, por norma, quando as árvores não são podadas.
No entanto, o responsável mostra-se satisfeito com o rumo que a cultura do amendoal começa a ter na região no Alto Douro, mas salienta que é preciso fazer mais.
“O valor turístico da amendoeira é importante, visto que nesta altura do ano atrai muita gente à região do Douro Superior e à Beira Alta, mas é preciso ter em conta que é em meados de Abril que os agricultores começam a fazer contas à produção”, salientou o Joaquim Grácio, e acrescentou: “é preciso ter em conta as perspectivas de produção de amêndoa no País. Se há preocupação com a flor da amendoeira, também é importante ter em conta o complemento económico do agricultor”.