PUB.

Daniel Soares e Luís Azevedo são os candidatos da A.F. Bragança a entrar no quadro nacional da arbitragem

PUB.

Dom, 09/06/2019 - 13:03


Daniel Soares e Luís Azevedo vão representar a Associação de Futebol de Bragança (AFB) no Curso de Formação Avançada, na Academia de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol. Os dois árbitros são candidatos aos quadros nacionais.

Ao longo de uma semana, com início amanhã e final no sábado (dia 15), 44 árbitros de futebol, de todas as associações do país, prestam provas físicas e teóricas.

A semana é exigente mas isso não é u problema. “Estou bastante confiante. A confiança resulta do trabalho que realizámos ao longo da época, trabalhámos para isso. Efectivarmos a nossa passagem nos quadros nacionais será consequência do nosso trabalho”, afirmou Daniel Soares.

O juiz de futebol, natural do Porto, chegou esta temporada à AFB e considera que este curso é “um ponto alto na carreira de qualquer árbitro”, sendo por isso “um motivo de orgulho”, para quem o frequenta e para a própria associação.

A passagem pela academia dá bagagem e ferramentas importantíssimas no processo de evolução na arbitragem. “A academia trouxe mais qualidade e dá-nos mais ferramentas para podermos ser melhores árbitros. Não é todos os dias que temos esta experiência durante uma semana”, acrescentou.

Esta não é a primeira vez que Daniel Soares vai frequentar a academia. O empresário, de 27 anos, já andou nos quatros nacionais e não esquece o primeiro jogo no Campeonato de Portugal. “Foi em Torre de Moncorvo e arbitrei o Moncorvo – Trofense. Foi sem dúvida marcante”, recordou.

Daniel tinha apenas 17 anos quando chegou à arbitragem e já lá vai uma década nestas andanças. O juiz confessa que não foi amor à primeira vista e que o gosto “foi crescendo”, contribuindo para isso facto de ter disso tutorado “por árbitros com mais experiência”.

Ser árbitro não é fácil pois a exposição à crítica é grande e está sujeito a várias pressões. No entanto, Daniel Soares realça a evolução do sector sendo necessário “tempo e serenidade” para que a arbitragem possa continuar a fazer o seu percurso de crescimento.

A mesma opinião é partilhada por Luís Azevedo. Contudo, o juiz, de 32 anos, considera importante haver uma mudança de mentalidades. “A evolução na arbitragem está a ser feita. A arbitragem está a evoluir imenso mas a mentalidade das pessoas não acompanha essa evolução”.

Luís Azevedo há 12 anos que está no sector. Começou como árbitro assistente, em 2007, na Associação de Futebol do Porto, onde se manteve até ao início desta temporada, mudando-se depois para a A.F. Bragança.

O técnico industrial não esquece o jogo de estreia. “Fui para um jogo que ditava a subida de uma equipa e foi complicado. Depois da partida tivemos dificuldades para sair do estádio”.

Está será a primeira vez que Luís Azevedo vai integrar os trabalhos da Academia de Arbitragem da FPF e espera-o uma semana bastante exigente. “O objectivo de qualquer árbitro é chegar a esta fase e entrar na academia para entrar nos quadros nacionais. Espero uma semana dura e de muito trabalho”.

A Academia de Arbitragem da FPF abriu portas em 2013 e tem-se revelado um espaço de excelência para a aprendizagem e evolução dos árbitros.

Daniel Soares e Luís Azevedo são os candidatos da A.F. Bragança a entrar nos quadros nacionais e que vão estar no Curso de Formação Avançada a partir desta segunda-feira (dia 10) e até ao dia 15 de Junho.

Já no final do mês, a partir do dia 25, a academia recebe os árbitros de futsal. Vítor Fernandes será o representante da AFB.

 

 

 

Jornalista: 
Susana Madureira