Opinião

PUB.
14/03/2023

As exéquias fúnebres respeitaram a sua vontade, tanto quanto foi possível. “Quero uma cerimónia simples e sem grandes manifestações de pesar”.

07/03/2023

A férula editorial da Directora deste semanário, referente à prometida volta do comboio a Bragança sem os pagadores de promessas há muito tempo ridicularizados ante o despautério de mentirem com todos os dentes que têm na boca incluindo os cariados, daí só galã Américo Coimbra as pagou, bem como

07/03/2023

Há uma expressão que o povo costuma dizer quando a necessidade de resolver um determinado assunto se torna imperativo. Diz o povo que o melhor é agarrar o touro pelos cornos. Assim ele não terá outra iniciativa e será dominado. Tem razão.

28/02/2023

Revisitando temas abordados há cerca de 10 anos atrás, perdoem os leitores que porventura já conheçam este texto publicado em 2015 no n.º 6 da saudosa Revista Raízes... mas, dada a sua atualidade, não resisto!

28/02/2023

A putativa nova líder do Bloco de Esquerda deve parte da sua notoriedade à sua atuação nas Comissões de Inquérito à resolução do BES onde, efetivamente se evidenciou destapando os pés de barro das figuras relevantes da Sociedade portuguesa de então, mas que, em boa verdade, daí não resultou nenhu

28/02/2023

ou um padre católico casado, com dispensa da Santa Sé, mas declaro que não vou nem posso ir contra o celibato seja de clérigos seja de leigos.

22/02/2023

Todos os anos, o Carnaval leva-me a pensar na poesia “Carnaval Todo o Ano”, nas “Memórias” de Casanova e nos Pafós.

22/02/2023

A política, em termos históricos, teve a sua origem na Grécia Antiga e resultou da necessidade de organizar, do ponto de vista do seu funcionamento administrativo e harmónico, as designadas pólis (cidades-Estado).

22/02/2023

Nos últimos dias ouvimos falar na comunicação social, sobre os crimes que a Igreja terá eventualmente cometido nos últimos anos. Foi elaborado um Relatório, que julgo ser sério, e que veio alertar para situações que não deveriam ter acontecido.

22/02/2023

A luta contra as alterações climáticas é o primeiro argumento, que sustenta a reivindicação do regresso da ferrovia a Trás-os-Montes, um segundo argumento, é de natureza regional, ligado à coesão e competitividade na Região Norte, a principal região exportadora do país e a menos desenvolvida.