PUB.
PUB.

Tiago Neto vence “6 Horas de Bragança” e conquista título em Master 30

ESTA NOTÍCIA É EXCLUSIVA PARA ASSINANTES

 

Se já é Assinante, faça o seu Login

INFORMAÇÃO EXCLUSIVA, SEMPRE ACESSÍVEL

Qua, 17/08/2016 - 14:33


Terminou, na segunda-feira, a edição 2016 do Open Regional de Estrada da Associação de Ciclismo e Cicloturismo de Bragança com a prova “6 Horas de Bragança” a cargo do Velo Clube/BBike.
Tiago Neto foi o vencedor da última etapa e arrecadou o título regional em Master 30.

Vilela no Tour du Limousin

ESTA NOTÍCIA É EXCLUSIVA PARA ASSINANTES

 

Se já é Assinante, faça o seu Login

INFORMAÇÃO EXCLUSIVA, SEMPRE ACESSÍVEL

Qua, 17/08/2016 - 14:31


Foi com alguma surpresa que não apareceu o nome de Ricardo Vilela na lista de convocados da Caja Rural para a Volta a Espanha 2016, que se realiza de 20 de agosto a 11 de setembro, depois do décimo lugar alcançado na Volta a Portugal.

A importância dos Heróis Desportivos Locais

Píndaro, poeta grego da antiguidade, dizia que não existia combate mais nobre de cantar do que os Jogos Olímpicos.

Cerca de 2500 anos depois da sua morte, aqui estamos nos “colados” aos nossos televisores, telemóveis e computadores a acompanhar as múltiplas competições desportivas dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Participar numa edição dos Jogos Olímpicos é talvez o momento mais alto da carreira desportiva de qualquer atleta, sendo que ao que parece esta “lei universal” não se aplica a alguns futebolistas masculinos, aos seus clubes e à própria FIFA.

Ao que parece a FIFA deve achar que enquanto federação desportiva internacional é uma entidade superior ao Comité Olímpico Internacional (COI) e por isso considera os Jogos Olímpicos uma “competição menor”. O que não é verdade, pois todas as federações internacionais são hierarquicamente inferiores ao COI e os Jogos Olímpicos são a maior e mais prestigiante competição desportiva planetária.

O futebol é efectivamente um paradoxo pois a competição feminina nos Jogos Olímpicos é altamente prestigiada (marcam presença na mesma as melhores jogadoras e equipas do mundo) e no futebol masculino as coisas são bastante diferentes, mas penso que no futuro as coisas vão ter que mudar.

Quando vemos os atletas portugueses a participar na mais prestigiante competição desportiva planetária, num Campeonato do Mundo ou num Campeonato da Europa de Futebol ficamos felizes, mas qual é o sentimento quando temos a participar nestas competições internacionais atletas formados localmente?

O sentimento é o de um enorme orgulho, mas também o é de “missão cumprida”, pois um feito deste género é um dos indicadores que revela que o trabalho que os clubes locais fazem é efectivamente de muita qualidade.

Estes atletas são importantes, não só porque elevam e levam os nomes das localidades que os ajudaram a formar muito longe, mas também porque se transformam rapidamente numa “força psíquica extra” para as crianças e jovens que integram o sistema desportivo do qual os mesmos são originários.

Esta motivação e este “efeito de ídolo” ajuda sempre a cativar mais algumas crianças e jovens para o desporto local, mas na minha perspectiva este facto motiva mais os que já se encontram dentro do sistema desportivo, sendo que a partir daquele momento os jovens desportistas passam a ter uma "referencia física" com a qual se podem comparar pois são provenientes da mesma localidade, integraram o mesmo clube ou clubes, tiveram mais ou menos os mesmos treinadores, andaram na mesma escola, tiveram os mesmos professores e até tem amigos ou familiares em comum.

Os heróis desportivos locais ligam o desporto de alto rendimento à base da pirâmide de desenvolvimento desportivo, injectando uma dose muito elevada de motivação nos jovens atletas provenientes da mesma realidade.

Nesse sentido gostaria de deixar aqui o meu agradecimento público aos mirandelenses João Geraldo, David Martins e Eduardo Carvalho pelos feitos desportivos recentemente alcançados. Na minha perspectiva estes três atletas são bons exemplos do que é ser um herói desportivo local.

 

 

 

 

Escrito por Paulo Jorge Araújo 

Técnico Superior de Desporto, Licenciado em Ciências do Desporto pelo IPB e Especialista em Gestão Desportiva pela UP

Bragança perdulário no ataque

ESTA NOTÍCIA É EXCLUSIVA PARA ASSINANTES

 

Se já é Assinante, faça o seu Login

INFORMAÇÃO EXCLUSIVA, SEMPRE ACESSÍVEL

Qua, 17/08/2016 - 14:16


O extremo, de 24 anos, entrou na segunda metade, mostrou qualidade e veia goleadora. Ao minuto 65’ apontou o único golo da formação brigantina, fazendo o 1-1. Zola facturou após uma assistência de Tiago Oliveira.